Como se tornar um comissário ou comissária de bordo

Como se tornar um comissário ou comissária de bordo?

É “fácil”: basta ter força de vontade e seguir sempre em frente. A carreira de comissário ou comissária de bordo, muitas vezes enxergada como algo de muito glamour, exige muito do profissional que optar em adotar esse, porque não, lifestyle: viver em uma rotina com novidades diárias, conhecer lugares incríveis (e outros nem tanto), conhecer pessoas e ter experiências únicas. É uma profissão de muita responsabilidade e comprometimento. E, prepare-se: você vai trabalhar MUITO! Mas, já dizia aquele velho ditado: “trabalhe com aquilo que gostas, e não terás de trabalhar um dia sequer em sua vida”. Concordam? Então, como se tornar um comissário ou comissária de bordo? Listamos abaixo 5 itens fundamentais e decisivos para você se tornar uma pessoa extremamente profissional e dedicada à profissão.

Leia mais:
De onde vem a motivação?
Trabalhar como Freelancer
Como anda sua memória?

1- Altura mínima para ser comissário ou comissária de bordo

Você sabia que precisa ter uma altura mínima para ser comissário ou comissária de bordo? Pois é. Não é uma questão estética ou preconceituosa, nem nada disso. É questão de segurança. Você como profissional de bordo de uma companhia aérea será responsável por uma série de tarefas, que vai muito além de servir a tripulação e os passageiros do avião: você é diretamente ligado à segurança das pessoas a bordo. E a altura mínima para ser comissário ou comissária de bordo está diretamente ligado a isso, pois você vai precisar alcançar facilmente alguns compartimentos do avião, como o bagageiro superior. A altura mínima para ser comissário ou comissária de bordo para mulheres é de 1,58m e para homens é 1,65m.

2- Com que idade posso ser comissário ou comissária de bordo?

Você precisa ser maior de idade. Ou seja, a partir de 18 anos você já pode se tornar comissário ou comissária de bordo. Não existe, previsto em lei, uma idade máxima para se tornar comissário ou comissária de bordo. Ou seja, nunca é tarde para recomeçar, e você pode ingressar na profissão quando achar que é hora de mudar de carreira.

3- Formação para ser comissário ou comissária de bordo

A formação necessária para ser comissário ou comissária de bordo é simples: apenas com o ensino médio completo, você já pode buscar centros de formações – como aeroclubes – para iniciar o processo da sua formação de comissário ou comissária de bordo. Dica: aprenda inglês. Mesmo se você for trabalhar apenas no Brasil. Mas, aprenda inglês. Saber falar inglês é um requisito muito importante no seu processo de formação para ser comissário ou comissária de bordo. Além de abrir muito mais oportunidades, você será um profissional com muito mais potencial.

4- As temidas provas da ANAC: não é tão difícil assim!

Após concluir as etapas de formação acadêmicas para se tornar um comissário ou comissária de bordo, conforme o item 3, você deve prestar avaliações para a ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil. São provas tanto teóricas, quanto práticas, onde você vai demonstrar o conhecimento adquirido no seu curso para se tornar um comissário ou comissária de bordo. Sendo aprovado, parabéns! Você já pode procurar um estágio em uma companhia aérea. Seu sonho está prestes a se realizar – e você está prestes a exercer uma das melhores profissões do mundo.

5- Estágio em uma companhia aérea e aprovação final

Agora que você já foi aprovado nas provas da ANAC, já encontrou um estágio em uma companhia aérea, é hora de mostrar – mais uma vez – na prática, que você aprendeu tudo certinho e está apto a ser contratado pela companhia aérea como mais novo comissário ou comissária de bordo. Após um estágio de 15 horas de voo, você será submetido a um teste prático com profissionais da ANAC, onde, após a aprovação, a cia aérea poderá solicitar seu Certificado de Habilitação Técnica (CHT), e você já poderá ser contratado.

Dica bônus: você precisa gostar de viajar. E gostar de viajar, não é apenas tirar fotos lindas pra postar no Instagram. É preciso gostar de trabalhar. Trabalhar muito. Pois sua rotina vai ser completamente diferente de rotinas convencionais. Vai passar um (muito) tempo fora de casa, dormindo em hotéis, acordando cedo, trabalhando de madrugada, longe da família, etc. Todo bônus (fazer o que você ama), tem um ônus. Mas, isso é o de menos. A gente supera! Bora ser feliz?

Comentários

Comentários

More from Arlan Bonatti

Filmes de Quentin Tarantino no Netflix

Confira uma lista de filmes de Quentin Tarantino no Netflix. Pra quem...
Read More